Tia Telma Responde – Posso me apaixonar por duas pessoas ao mesmo tempo? Estou confusa

“Sou apaixonada por meu namorado, não vejo minha vida sem ele. Mas conheci outro que me encantou demais e acabei me apaixonando por ele também. É possível gostar do mesmo jeito duas pessoas ao mesmo tempo? Não sou promíscua nem infiel, mas não sei o que faço com essa situação. Quero os dois na minha vida.”

Quem nunca viveu uma situação similar, que atire a primeira cartela de anticoncepcional. Os especialistas dizem que, é sim, amar duas pessoas ao mesmo tempo mas que os sentimentos serão diferentes para cada uma. A maioria, no entanto, se obriga a optar por um dos dois afetos, pensando que é errado e que é uma pessoa ruim. Não é. Há alternativas. Mas, se não quiser perder os dois, sinceridade vem em primeiro lugar. Conversando, é possível chegar em acordos. Porém, se o seu parceiro não for uma pessoa aberta, é provável que ele não vá entender.

Embora mal visto pela sociedade e, portanto, reprimido, é cada dia mais comum casos de poliamor – que é, na verdade, um polirrelaciomento: a possibilidade de ter dois ou mais relacionamentos simultâneos, que englobam afeto e sexo. Nada a ver com promiscuidade. Os envolvidos nesse polirrelacionamento vivem relacionamentos sérios, construídos na base da confiança e respeito entre os envolvidos. Não é um simples caso de menage à tróis (até pode ter, mas não é obrigatório).

Normalmente, quem se envolve em um polirrelacionamento são pessoas que decidiram viver o amor livre, aquele que dá liberdade aos dois envolvidos emocionalmente de ser relacionarem com outros sem cobranças e sem ciúmes. Relacionamentos abertos, saca? A gente vê muito no Tinder os caras falando em relacionamento aberto mas a namorada ou esposa não sabe disso. Amor livre só vale quando os dois concordam e respeitam um ao outro.

No entanto, para o poliamor, precisam também vencer algumas dificuldades, além da concordância e respeito. O primeiro é assumir a relação e manter uma convivência entre os três de forma cotidiana. Ou seja: diferente do relacionamento aberto, onde um não precisa apresentar a(o) namorada(o) nova(o) ao parceiro, o polirrelaciomento – para dar certo – exige pleno conhecimento do terceiro. Afinal, as vidas vão se misturar, terem atividades conjuntas e, em alguns casos, até morarem juntos. Há casos de casais que namoram uma mulher (e transam entre eles) e há casos de dois homens namorarem uma mesma mulher e serem parceiros e amigos (mas sem sexo entre os dois).

“Os parceiros também precisam ser pessoas evoluídas, sem um pingo de machismo, porque, se não, começam as disputas, o que torna a vida um inferno”, conta uma amiga que viveu a experiência na Inglaterra. Ela se relacionou com dois homens que aceitaram as condições dela de relacionamento mas se viu, depois de algum tempo, no meio de uma competição entre eles. “No começo era engraçado, depois foi ficando sério e quase partiam para agressão. Coloquei um fim no relacionamento com ambos”, diz.

A experiência para ela, no entanto, foi boa de modo geral. “Voltei para o Brasil e ainda não me relacionei com dois homens ao mesmo tempo porque não me apaixonei por ninguém. Mas não descarto tentar de novo, se acontecer de amar dois novamente, embora o brasileiro seja muito machista e inseguro quando o assunto é relacionamento e sexo”, afirma.

Então, cara leitora, agora você conhece um pouco sobre poliamor. Talvez seja uma opção para você. Ou não. Mas acho que você deve conversar com seu boy e explicar o que está acontecendo. Mostre essa coluna para ele. Quem sabe, né? Você que o conhece melhor, pode avaliar se vale a pena. Se não, você terá que fazer sua escolha: com quem você sente mais afinidade?

Mande suas dúvidas e sugestões para telma@olondrinense.com.br

Foto: Pixabay

Telma Elorza

Jornalista profissional, palpiteira e galhofeira. Adora dar pitaco na vida dos outros enquanto vai levando a sua na flauta.

Compartilhar:

Um comentário em “Tia Telma Responde – Posso me apaixonar por duas pessoas ao mesmo tempo? Estou confusa

  • 9 de março de 2020 em 18:27
    Permalink

    Achei interessante a própria apresentação, palpiteira e galhofeira. Não fez mais que isso neste “conselho”.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *