Tia Telma Responde – “Meu marido quer me ver transar com outro”

“Meu marido me propôs convidar um amigo dele para transar comigo. Ele diz que sonha em me ver com outro. Como reajo a isso?”

Minha amiga ficou chocada quando o marido propôs que ela transasse com outro para que ele veja e, quem sabe, participe. De modo geral, temos aqui uma figura muito conhecida para quem gosta de assistir vídeos pornôs: o cukold (ou corno, em bom português). O homem que sente prazer em ver a esposa se divertindo à vera com outros homens, geralmente na própria cama. O termo deriva do inglês cuckoo (o pássaro cuco) que, na natureza, costuma receber em seu ninho fêmeas que vão botar ovos de outro macho.

Segundo a rede social para os desinibidos sexualmente, Sexlog, o termo cukold foi um dos mais pesquisados por homens, em 2018, no último levantamento feito. As buscas sobre o tema no Google dobraram nos últimos 10 anos, segundo o Google Trends. Isso mostra o interesse que os homens – sempre eles – têm por variações sexuais e fantasias. Ver a mulher dando para outro parece ser comum entre os heterossexuais bem resolvidos.

O cukold, ao contrário do voyeur, não se esconde para assistir. Pelo contrário, quer estar vendo tudo, todos os detalhes de pertinho. Mas uma boa parcela assume uma atitude submissa e passiva, frente ao casal que está se divertindo. Boa parte de deles, segundo os vídeos pornôs (sim, eu fui ver), até participam da festa, mas sempre sob uma ótica de dominação (olha o BDSM aí de novo), mesmo que seja um macho alfa nos dias de sexo a dois com a mulher.

O site Psychology Today trouxe, há algum tempo, uma entrevista com o psicólogo americano David Ley, autor do livro  ‘Insatiable Wives’ (Esposas Insaciáveis, em tradução livre) que disse que “É essencial compreender que a ideia, que poderia ser humilhante, de imaginar sua esposa tendo relações sexuais com outro homem, se transforma em algo extremamente erótico” .

Os homens, segundo um amigo que consultei e que já foi o terceiro na cama de casais por várias vezes, gostam que suas namorada/esposas sejam desejadas por outros homens. Os fazem sentir como vitoriosos por terem conquistado uma mulher desejada, diz. “Mas eles não querem a traição simplesmente. Eles querem uma traição controlada. A maioria escolhe o parceiro da mulher. É quase sempre ele que convida, a menos que a mulher seja a dominadora do casal, o que é mais raro”, conta.

Participar ou não da transa varia de acordo com o homem. “Se ele não tiver inibição de tocar outro homem, pode ser bem ativo até, virando um ménage na segunda ou terceira rodada. Mas a maioria gosta mesmo de ver, às vezes de muuuuito perto, o que até atrapalha um pouco nas posições”, explica o amigo.

Então, minha amiga, se seu marido a convidou para cukolding (o termo para essa prática), pode considerar um elogio. Se vai aceitar ou não, depende de você. Mas pode ser uma fantasia interessante. Que mulher nunca sonhou em transar com outro mesmo em um relacionamento estável e feliz? Com o aval do marido? Nossa, um sonho perfeito.

Foto: Pixabay

Telma Elorza

Jornalista profissional, palpiteira e galhofeira. Adora dar pitaco na vida dos outros enquanto vai levando a sua na flauta.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *