Tia Telma Responde – Gosto de apanhar na cama, mas fora dela sou uma mulher bem resolvida. É normal?

“Sou uma mulher bem-sucedida, feminista, independente e com opiniões próprias. Mas, na cama, gosto de apanhar com tapas na cara, puxões de cabelo e mordidas no corpo. Não consigo conciliar esses meus dois lados, me sinto diminuída cada vez que peço para um cara me bater, porém só gozo assim. É normal? Preciso buscar ajuda?”

De perto, ninguém é normal. Todo mundo tem questões internas, fetiches e fantasias se digladiando na mente. E uma coisa que sempre traz angústias é quando a fantasia/fetiche vai contra tudo que acredita fora da cama. Uma feminista apanhar e gostar? Nossa, que dualidade de personalidade. É errado uma mulher que se posiciona pelos direitos femininos, briga, luta, ser “mulherzinha” na cama? Não. Se dá prazer, qual o problema?

O que as pessoas precisam aprender é separar as vidas pessoal e profissional da vida sexual. Primeiro, porque ninguém tem nada a ver com ela. No seu quarto, na sua cama, você faz o que quiser e não precisa justificar nada a ninguém. Nem para o parceiro. Pode pedir seus tapas sem explicação nenhuma. Ou, se for também o companheiro de vida, apenas deixe claro: cama é uma coisa, vida fora dela é outra.

Nenhuma mulher precisa ser feminista, independente, segura de si 24 horas por dia. Pode ser menininha, meiga e carinhosa nos braços do amado sem culpas. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. E os caras que não entenderem isso, pode dar tchau.

O que precisa ficar claro, na mente de ambos, é que a tal entrega passa por saudável respeito mútuo aos limites do outro. Seu companheiro não pode exigir submissão no dia a dia se não é isso que você quer. Ou vice-versa.

No mais, não há porque ficar se culpando se gosta de levar uns tapas bem dados. Tem muita gente que gosta e prefere sexo selvagem a “amorzinho fofo”. Você só precisa procurar ajuda de especialistas se isso estiver atrapalhando ou interferindo com os outros aspectos da sua vida. Se não, bola para frente, curtindo seus tapas na cama sem deixar de ser uma mulher poderosa no seu dia a dia.

Foto: Pixabay

Jornalista profissional, palpiteira e galhofeira. Adora dar pitaco na vida dos outros enquanto vai levando a sua na flauta.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *