Tia Telma Responde – Devo fazer ménage porque meu namorado pediu?

“Meu namorado quer me convencer a fazer ménage com outra menina, mas não sei se quero isso. Que faço?”

Enfim chegamos a fantasia favorita de 10 entre 10 heterossexuais cis: estar na cama com duas (ou três ou quatro) mulheres dispostas a tudo para satisfazê-lo. Chamado de ménage à trois (pronuncia-se troá). Ou a fantasia mais machista que existe. Vai uma mulher falar para o namorado, marido ou companheiro que quer transar com dois caras (eles se pegando também, claro) para ver o que acontece. Sai fogo das ventas do fulano. Hahahaha! Exagero. Há caras que topam numa boa, sem ver risco para sua heterossexualidade. Outros topam, desde que não se toquem (como se fosse possível, hahahaha).

E não precisa ser necessariamente entre um homem e duas mulheres ou uma mulher e dois homens. Pode ser feito também por três barbados ou por três mocinhas. O que importa é o número. Sempre três. Mais que isso vira suruba.

Mas a maioria dos caras favorita os vídeos pornôs com duas mulheres nos sites de sexo da vida. Eles não querem só duas mulheres, ali, o agradando, querem também que as duas transem entre si. Por isso, tem tanto cara inconveniente convidando casais de lésbicas para sexo a três (totalmente sem noção). Eles querem ver as duas transando e, se possível, se meter no meio.

E sempre que falam dessa fantasia, é seguida da pergunta “por que você não convida uma amiga?” Como se, além de satisfazer a fantasia machista, a mulher ainda fosse obrigada a partilhar as amigas, arrumar alguém para ele comer. Fácil, né? Moços, vocês precisam usar mais a cabeça de cima.

O menáge é quase tão antigo quanto a sacanagem. O Kama Sutra, escrito pelo teólogo hindu Mallanaga Vatsyayana entre os séculos 3 e 4, já trazia o ménage como umas das 529 práticas/posições sexuais recomendadas. E o autor passou 20 anos compilando 79 textos eróticos da Antiguidade, alguns escritos mil anos antes. Ou seja, a coisa é veeeeelha! Então não me venham como “ah, esse mundo está perdido”.

Diz a lenda que a palavra ménage neste contexto apareceu na antiga Gália (sim, aquela de Asterix e Obelix), que veio a se tornar a França e a Bélgica. Os gauleses entendiam o sexo como algo natural, comum e prazeroso e, portanto, não se limitavam por convenções, praticando todas as variações possíveis. Animados, né? Casos de homossexualidade eram aceitos naturalmente. Ménage, para eles, significava apenas casa, lar, residência, abrigo. Ménage à tróis seria a “família de três”. Olha que meigo.

Voltando à pergunta: se você não sabe se é a fim de experimentar, não experimente. Não existe ménage semi-consensual. É como no swing: quando um não quer, três não brincam. Você não vai para cama com outra mulher – conhecida ou não – sem querer. Isso é uma tremenda violação. Se for, vai se sentir mal, ficar constrangida e, no mínimo, não aproveitar nada, além de se prejudicar e prejudicar a relação. Tudo, entre o casal, tem que ser consensual. Até se ele quiser transar e você não.

Agora, se tem curiosidade, também fantasia e está apenas com medo ou vergonha, relaxa. Nada que umas boas taças de vinho não ajude.

Foto: Visual Hunt

Telma Elorza

Jornalista profissional, palpiteira e galhofeira. Adora dar pitaco na vida dos outros enquanto vai levando a sua na flauta.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *