Takahashi pede, em ação, mais de R$ 90 mil em salários atrasados

O valor corresponde aos seis primeiros meses em que a justiça determinou que ele ficaria afastado do cargo e que não foram pagos

Equipe O Londrinense

O vereador Mario Takahashi (PV) entrou com uma ação na Justiça para que a Câmara Municipal de Vereadores pague cerca de R$ 90 mil em salários atrasados. Takahashi e o também vereador Rony Alves (PTB) foram afastados de seus cargos no final de janeiro de 2018, quando o Ministério Público deflagrou a operação ZR3 e eles foram presos.

Na época, Takahashi exercia a presidência da Câmara e recebia pouco mais de R$ 15 mil por mês, porém teve os salários suspensos durante a investigação. Em junho do mesmo ano, a Justiça determinou que os salários voltassem a ser efetivados mas não garantia os atrasados. A justificativa legal seria o vínculo entre vereador e administração pública, que não foi cortado por cassação e ou por decisão judicial condenatória transitada em julgado.

Rony Alves também já ajuizou uma ação similar, na 2a. Vara de Fazenda Pública. Na época, ele recebia cerca de R$12 mil.

Para corroborar o pedido, há a decisão da Justiça que negou a suspensão dos pagamentos e devolução dos salários dos vereadores afastados, pedido feito por deputados da região. Os parlamentares alegaram que o prejuízo aos cofres públicos ultrapassam os R$330 mil . O juiz Marcos José Vieira, da 1a. Vara de Fazenda Pública indeferiu a ação. 



Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *