Seu Dia a Dia – Saiba que há linha de crédito ao pequeno empresário, o Pronampe. Entenda

Tenho recebido algumas sugestões de pauta sobre como o empresário pode fazer para obter linha de financiamento frente a esse crise atual causada pela pandemia.

Nesse sentido, foi criado o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) que é um programa do governo federal com objetivo de garantir recursos aos pequenos negócios, além de manter os empregos, uma vez que essa é uma das exigências para que a empresa possa ter acesso crédito.

Destina para qual perfil de empresas? Aquelas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, considerando a receita bruta de 2019. O porte da empresa é definido pelo faturamento, veja:

a) MEI (microempreendedor individual) – faturamento até R$ 81.000,00.
b) Microempresas – faturamento igual ou inferior a R$ 360.000,00.
c) Empresas de pequeno porte (EPP) – faturamento entre R$ 360.000,00 e R$ 4.800.00,00.

Outra característica do programa é que o acesso ao crédito pode ser utilizado tanto para 1) investimentos e 2) capital de giro.

1) Se for para investimentos, podem ser adquiridos máquinas e equipamentos, bem como reformas.
2) Se for para capital de giro, podem ser utilizados nas despesas operacionais como: folha de pagamento, bem como outros tipos de despesas fixas e variáveis como água, luz, aluguel, matérias primas, mercadorias.

Qual é o prazo para pagamento? A carência é de 8 meses e pagamento em até 36 meses.

Mas tem um detalhe: as instituições financeiras poderão requerer a garantia do empréstimo, em até 100% do valor da operação e é importante destacar que o limite do empréstimo é equivalente a 30% do faturamento da empresa em 2019. Exemplo: se a empresa faturou 100 mil, o valor que pode ser obtido é de até 30 mil.

Qual é a taxa de juros? A taxa é de 1,25% ao ano (parte fixa) mais a taxa Selic de 2,25% ao ano (parte variável), juntas daria uma taxa de 3,52% ao ano.

Se quiser mais detalhes vai encontrar no site Portal do Empreendedor quais os bancos participantes dessa modalidade:

Importante: fique atento as contrapartidas exigidas pelos bancos, como garantias, tarifas e seguros, pois isso pode aumentar a taxa contratual. No final, o que precisa saber é realmente qual será o custo efetivo total (CET). Assim, tudo indica ser uma taxa bastante atraente e vale a pena conferir essa boa oportunidade.

Fica a dica e mande sua sugestão de pauta. Uma ótima semana! Gratidão

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR. Facebook: fb.me/claudio.luiz.chiusoli
Instagram: @claudio.chiusoli
Linkedin: https://br.linkedin.com/in/claudio-chiusoli-50819531
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do YouTube

Foto: Pixabay

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *