Seu Dia a Dia – Conheça a “Calculadora do Cidadão” que ajuda na atualização de valores

Certa ocasião, um amigo, ao ler minha coluna, procurou-me comentando que tinha títulos de um banco privado que datava da década de 50. Provavelmente herança da família.

Me reportou que, ao encontrar esses documentos, ficou com grande expectativa e curiosidade em saber o valor atual desses títulos. Passados quase 70 anos, poderia render um dinheiro extra.

Assim, perguntou-me se poderia auxiliá-lo e de imediato peguei as informações que precisava, o valor em moeda da época e a data do documento.

Outra situação interessante, na minha página do Facebook, tive esse mesmo questionamento. No entanto, o período era referente a década de 60. Tão logo quanto possível, também respondi a essa demanda.

Assim, penso, quem nunca precisou de um site de atualização de valores, e dentre tantos, qual poderia ser mais confiável? Certamente existem muitos. No entanto, recomendo a “Calculadora do Cidadão” do Banco Central, como é conhecida, mas pouco divulgada.

Nesse site encontrará diversos indicadores como o IGP-M (FGV), INPC e IPCA (IBGE) e IPC (FIPE). Deste modo, é possível fazer correções de valores a partir de 1942, basta inserir o valor (dinheiro da época) e data, e por fim final, informar o período pretendido.

É bastante intuitivo e fácil, e pode ser conferido acessando esse link.

Assim, basta inserir as informações para atualizar valores, como salário da época, do aluguel de um imóvel, algum produto e, no caso em questão, o valor dos títulos.

Como exemplo, se pegar o valor do salário mínimo de R$ 64,79, julho de 1994 e aplicar a correção, esse valor será aproximadamente R$ 629,85, para outubro de 2020, corrigido pelo IGP-M.

Importante destacar que, ao aplicar os indicadores disponíveis, ocorrerá variações devido as taxas de cada período e tempo. Assim, dependendo da situação, você deve usar aquele indexador que melhor se enquadra em relação a sua necessidade.

E, voltando a solicitação de meu amigo, sabe qual foi o valor do título do banco privado na década de 50? Para sua surpresa, não passava de R$100, mas pelo menos matou sua curiosidade e ajudou na decisão a ser tomada.

Fica a informação. Uma ótima semana! Gratidão

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR. Facebook: fb.me/claudio.luiz.chiusoli
Instagram: @claudio.chiusoli
Linkedin: https://br.linkedin.com/in/claudio-chiusoli-50819531
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do YouTube

Foto: print do site

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *