Redes sociais: Temos que opinar em tudo mesmo que não conheçamos direito o assunto?

Muito tem se falado sobre a superficialidade existente nas redes sociais e que os  internautas se tornaram especialistas em tudo.

Fabio Bomfim da Silva
Equipe O LONDRINENSE

É muito comum que as pessoas emitam opiniões baseadas apenas nos títulos das matérias, pois sequer se dão ao trabalho de lerem o texto.

Esses incômodos causados por opiniões rasas e muitas vezes sem conhecimento do que se fala, têm sido combustível para muitas desavenças. Certamente não é extremamente necessário tratar determinados assuntos como se fossem teses de mestrado ou doutorado, mas exibir algum conhecimento e informações sobre aquilo que se opina é necessário.

O evento das redes sociais ainda é relativamente novo. Vivemos um período de comunicação instantânea. Qualquer fato, independente do local que ocorra, é veiculado quase que em momento real. Tanta informação ocorrendo ao mesmo tempo, aliada à ansiedade das pessoas, faz com que não saibamos lidar muito bem e nos tornemos metralhadoras giratórias de opiniões. Acredito que o tempo ensinará e segmentará as relações e formas de comunicações entre as pessoas. Até lá, seria interessante que o bom senso imperasse.

É preciso, também, que a etiqueta comportamental seja observada. Nem tudo que está à sua frente, na tela do computador ou celular, precisa ser comentado. Sobretudo, se você não domina o assunto e quiser entrar na conversa para discordar. É bom lembrar que a opinião e o vexame serão públicos.

A nossa lista de amigos está repleta de pessoas com personalidades, crenças e opiniões diferentes das nossas. A forma como nos comportamos diante disso é que vai estabelecer o fortalecimento ou o rompimento dessas relações. Querer colonizar as outras pessoas para que pensem exatamente igual ao que achamos correto é um grande erro.

As redes sociais são ótimas para aproximarem e trazerem informações sobre as pessoas que gostamos e, muitas vezes, pela distância, não podemos ter por perto na freqüência com que desejamos. Grande quantidade de pessoas, felizmente, consegue utilizar as ferramentas disponíveis para essa finalidade e usufrui o melhor que elas podem oferecer. Portanto, muito cuidado e respeito ao divergir quando o assunto é religião, política ou outros temas igualmente polêmicos.

Lembre-se, a rede social não é uma passarela onde as pessoas aguardam ansiosamente pelo desfile da intelectualidade impositiva, ofensas e nem pela falta de respeito que muitas vezes presenciamos.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *