Redes sociais impulsionam negócios bem mais que você acredita

Mundo cada vez mais on-line faz das redes sociais ferramentas importantes para a venda e divulgação de serviços

Vinícius Fonseca

Especial para O LONDRINENSE

Cada vez mais a internet e, consequentemente, as redes sociais estão ganhando espaço na vida das pessoas e influenciando em seus hábitos, principalmente com relação ao que consumir. Comprar um produto pela internet é cada vez menos um tabu entre os usuários da grande rede. No entanto, quem deseja anunciar um serviço ou comercializar algo deve se atentar a algumas questões. Uma delas é qual ferramenta utilizar para atingir o seu público-alvo.

Especialistas em mídias sociais comentam sobre como o bom uso desse mecanismo pode alavancar as vendas, fortalecer a marca e gerar “frutos” para quem deseja empreender, ainda que com poucos recursos.

Proprietária de uma agência especializada em mídias sociais, Mika Mota explica que com o avanço das tecnologias e um maior acesso à internet, houve uma mudança na relação entre os consumidores e as empresas, uma vez que agora o acesso à informação é extremamente rápido e prático. “Com apenas um clique, o cliente pode encontrar informações sobre o produto, empresa, comprar e enviar para casa”, exemplifica. “As redes sociais se tornaram referência de informação, entretenimento e claro, de consumo”, completa.

Ainda segundo ela, a estimativa é de que o Brasil tenha, cerca de 140 milhões de usuários ativos nas redes sociais. E cada uma delas cumpre com uma função. “Existem diversas plataformas que o público utiliza de acordo com o objetivo. Facebook é informação, Instagram visual/fotos, Linkedin profissional e assim por diante”, comenta.

Para a especialista, a alta abrangência e o baixo custo são os diferenciais dessas ferramentas, no entanto é preciso um trabalho bem direcionado para que se consiga os resultados desejados. Saber o quê e para quem se deseja vender e assim delimitar qual a melhor rede social se utilizar para isso é determinante para o sucesso.

Outro cuidado importante é na lidar com os comentários negativos, que aparecem em maior escala na internet do que, costumeiramente em lojas físicas. Para Mika, falar a verdade, assumir os erros são fundamentais para se estabelecer uma relação de confiança com o cliente. Ela indica ainda que, caso a empresa não tenha cometido o equívoco que gerou a reclamação, “explique de forma mais clara, sem agredir quem reclamou. E ao conseguir o contato, leve a discussão da solução para o privado”.

Outras dicas importantes são não focar apenas no número de curtidas ou seguidores. Também é importante entender que as redes sociais não são apenas um canal para as vendas, mas também uma forma de se relacionar, criar vínculos e até estabelecer parcerias. A também especialista no segmento, Mirella Fontana reforça a ideia de que as redes sociais são, hoje, uma ferramenta fundamental para quem quer pensar em vendas e fortalecimento de marca.

Atuando há anos com assessoria e planejamento de comunicação, ela se recorda de momentos em que a internet não era assim tão popular “Quando fui atender um cliente e sugeri que ele fizesse um site ele me respondeu que jamais faria isso”, lembra Mirella, ao citar um caso ocorrido há 21 anos. “Hoje é inconcebível ficar fora do ambiente online em qualquer segmento”, acrescenta.

Durante sua trajetória, a especialista atuou na comunicação de campanhas políticas e cita que as redes sociais têm influência, inclusive, na forma como as pessoas podem “enxergar” um candidato. “Acredito que a principal função do marketing político seja ouvir o eleitor. Bolsonaro soube atuar como poucos nas redes sociais, durante mais de um ano ele foi filtrando exatamente o que o eleitor queria e usou muito bem as informações que tinha”, aponta.

Tatuagens ganham força no Instagram

O tatuador Vinícius Volpini parece ter entendido muito bem a força das redes sociais para aumentar o alcance do seu trabalho e assim conseguir um maior número de clientes.

Atuando em Londrina, ele se vale do Instagram para divulgar suas artes e assim atrair os olhares de quem está interessado em fazer uma tatuagem. “Uso bem mais o Instagram, justamente por ser uma rede social mais focada na publicação de imagens. Afinal, a tatuagem, desde o processo inicial (rascunho) até o final (na pele) é imagem, é visual”, detalha.

Volpini afirma ainda que o uso da rede social tem se tornado cada vez mais comum entre os tatuadores, pelas possiblidades que oferta e garante não pretender parar de se valer da ferramenta tão cedo. “Acho que grande parte começa a acompanhar meu trabalho pelo Instagram. Vê as publicações e aí se interessa em marcar uma tattoo”, enfatiza ele, para mostrar a força da rede social em seu trabalho.

Foto: Reprodução do Instagram

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *