Pandemia: Como as pessoas estão reescrevendo a sua história

Vamos falar sobre recomeços? Trazemos várias histórias de pessoas que se reinventaram e nos mostraram que: Sim, a vida é bela!

Mirella Fontana
O LONDRINENSE

Estamos vivos! E isso já é motivo para agradecer. Tá difícil pra quase todo mundo, seja no aspecto financeiro ou no emocional, estamos diariamente sendo desafiados a mostrar que é possível. E tem muita gente mudando o enredo, criando, fazendo diferente, se reinventando, se superando.
E foi pensando que essas pessoas tem muita coisa boa pra ensinar é que resolvi escrever essa matéria. Vamos lá, espero que vocês encontrem aqui a inspiração necessária pra a reescrever sua história.


“Resiliência é o meu mantra”

Karina e Marco Pierre

Quando a pandemia começou, a Karina Munhoz, designer de joias, viu sua vida mudar da água pro vinho. Primeiro veio o pânico, “desesperada na verdade, medo acho que todos sentiram …mas, na verdade, eu desesperei, meu emocional foi pro buraco, engordei horrores, tristeza, a única coisa boa era ter minha família por perto…eles eram meu alicerce”, conta Karina.
Após 5 meses, veio separação, o filho foi morar com a avó, e seu ateliê fechou as portas fisicamente. Ela se viu sozinha, sem rumo.

Tá pensando que ela desistiu? Pensou errado! E sabe por quê? Porque todo mundo tem que recomeçar de alguma forma, e foi exatamente o que ela fez!

“Só tinha 2 opções: Ficar na cama chorando e lamentando a vida, ou seguir em frente. Optei por seguir em frente. Comecei a fazer coisas que nunca tinha feito, acampar foi uma dessas. Acampei com 46 anos e amei! Fui conhecer cachoeiras, me conectar com a natureza, escuto muito mais músicas, faço meditação. Consegui enxergar quem sim e quem não, e hoje quero ficar próxima de pessoas do bem. Mudei de casa, moro sozinha, na verdade eu e o Marco Pierre, meu cãozinho, tão companheiro.
Me olho no espelho, dou um tapa leve no rosto e digo: vamos lá, garota!
Investi ainda mais nos meus negócios, sem medo, fui pra cima mesmo.
Me cuido muito mais, me sinto muito mais feliz e realizada! Temos que olhar pra frente. Nos rodear de pessoas boas, fazer coisas novas, e agradecer sempre!”
Pra quem quiser conhecer melhor o trabalho que a Karina desenvolve basta acessar o site: www.atelierbololo.com.br

De bem com a vida

Fernanda Viotto

A empresária e advogada Fernanda Viotto também viu sua vida mudar durante a pandemia. Em março, durante o primeiro lockdown, ela transferiu suas atividades para Home Office, e, no meio de tantas notícias ruins, começou a desenvolver transtornos de ansiedade e pânico. Foi então que percebeu que ao invés de ficar assistindo as tristes imagens da TV poderia se envolver em um novo projeto.

“Eu sempre gostei de me comunicar, fui professora durante muitos anos, sempre dei entrevistas na área de direito e foi aí que surgiu a ideia, junto com a minha assessora de imprensa, Raquel Rodrigues, de um projeto na área de comunicação que trouxesse uma sensação de bem-estar, de felicidade para as pessoas que estavam sofrendo em razão da pandemia”.

O Programa abrange temas de saúde física e mental, relacionamentos, beleza, experiências, empreendedorismo e bem-estar. Por isso o nome “De bem com a vida, com Fernanda Viotto”. “Esse novo projeto trouxe luz pra minha vida, me tirou a ansiedade, me trouxe esperança. E hoje, aquilo que o projeto novo gerou em mim, está trazendo a mesma coisa para as pessoas que estão assistindo”. O programa está no ar nos seguintes canais: Youtube
Facebook e Instagram.

Uma vida mais doce

Geleias da Pote Doce

A acupunturista Erika Senise sentiu na pele os efeitos da pandemia na sua profissão, já que é impossível fazer o atendimento sem contato com o paciente.

Há muito tempo, Erika aprendeu com a avó a fazer licor de jabuticaba e geleia de pimenta, que foram sucesso entre a sua roda de amigos. Foram eles que sugeriram que ela fizesse essas delícias para vender. Foi assim que surgiu a Pote Doce que tem como carro chefe os sabores de pimenta dedo de moça, abacaxi com pimenta e abacaxi com gengibre.

Fez a primeira leva, a segunda e sentiu um potencial enorme de vendas de seus produtos, então ela resolveu investir em cursos on-line e foi cada vez mais aprimorando suas técnicas, não só de geleias, também de acupuntura, fitoterapia chinesa e dieta terapia.

“É uma coisa tão gostosa que eu me apaixonei! O bacana é que eu sempre me achei limitada e descobri que posso ser bastante coisa, eu posso mais.”
Com a vacinação, Erika já voltou a atender mais pacientes de acupuntura, mas não pretende largar de produzir as geleias.

Entre em contato com a Erika para conhecer melhor o seu trabalho: (43) 9605-7889

Alimentação saudável

Formada em nutrição, a londrinense Marcelle Azin nunca havia trabalhado em sua área. Quando a pandemia começou, ela trabalhava como gerente de um buffet infantil, setor que foi amplamente atingido. Sem renda e com uma boa mão para cozinha, Marcelle entrou no ramo das marmitas saudáveis.

Toda quinta-feira ela solta um cardápio novo, e não tem só marmitas, Marcelle também prepara coalhada, bolos fit e massas. A intenção é agradar a todos os gostos.

Atualmente ela faz tudo sozinha da cozinha da sua casa, “eu compro, cozinho, monto e entrego”, diz.

Confira o trabalho da Marcelle através do instagram: @marmifit.artesanal

A máquina de costura da avó

Os panos de prato confeccionados por Patrycia

Patrycia Favoreto aprendeu a costurar e fez da antiga máquina de costura da avó, não só um hobby, mas uma fonte de renda.

“Depois que ganhei a máquina de costura da minha avó, que tem praticamente minha idade, decidi aprender a costurar! Minha sogra também me deu uma overloque, e foi uma super incentivadora! Então eu tinha duas máquinas , nenhuma professora, nenhum curso, e duas crianças em casa. Entraram de férias, e eu entrei de cabeça neste mundo que me tirou da zona de conforto e me deu a melhor auto análise ever!!! Agradecida é pouco! Precisava começar por algum lugar… Mais uma vez minha avó: – preciso de pano de prato! E o presente de Natal para ela e as encomendas que logo em seguida surgiram foram me desafiando, me fizeram aprender imediatamente na marra e sem rodeios a ‘passar a linha na máquina’ e ‘trocar a bobina’! Muito passou pela cabeça, do que fazer , que caminho seguir… estou no caminho da minha vóinha, fazendo panos de prato, logo toda linha cozinha… quem sabe toda linha cama mesa e banho… enxoval… Estou feliz e se gostou deste trabalho que estou fazendo (hora de avaliar seus panos de prato!) , faça sua encomenda! Ficarei feliz em fazer paninhos lindos para você! Me segue lá no Instagram: @aparo_atelie

Aprender um novo idioma ajudou a diminuir a ansiedade

A psicóloga Ana Lúcia Ferreira teve seus horários de atendimento reduzidos por conta da pandemia e resolveu aprender um novo idioma.

“Tudo começou quando um amigo me convidou para participar de um grupo italiano no Facebook. Mesmo sem saber o idioma entrei, mas não interagia com ninguém. Então veio a Pandemia, os meus dias de trabalho foram reduzidos e a ansiedade gritando. Até que eu vi um anúncio de aulas on-line gratuitas, procurei o link, era ao vivo, assisti a primeira e adorei! Fiquei muito motivada, comprei caderno, baixei todo o material e me joguei de cabeça. Comecei a fazer novas amizades e cada dia estou me apaixonando mais e mais pela língua. Hoje faço o curso pago, administro dois grupos e já consigo conversar com os italianos que antes eu fugia. E a ansiedade, diminuiu bastante “







Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *