Olhando para o céu azul, me lembrei de Magritte

René Magritte foi um artista surrealista, que nasceu em 1898 e morreu em 1967. De origem belga, foi para Paris em 1927 onde ficou até terminar o contrato com uma galeria renomada. Retornou para Bélgica e lá permaneceu com sua esposa Georgette, até que veio a falecer de câncer.

Um dos maiores expoentes surrealistas, trabalhou desde o surreal mágico até o mais dia a dia por assim dizer..Era um trabalho figurativo impressionante. O mais interessante, no entanto são a sensação de vazio e frugalidade que sua obra passa e, de repente, vem as surpresas…

Magritte coloca em cheque algumas normas estabelecidas, por exemplo: no quadro de uma “sereia”, a figura é metade peixe (cabeça) e metade mulher(as pernas)! Ou seja, ele subverte a ordem (e quem pode dizer que ele está errado, já que sereias..bom na verdade, nereidas…mas isso fica para outra história; não poderia ser assim? São lendas!). No mínimo, ele tinha muito senso de humor!

A Traição das Imagens, de René Magritte

Suas obras são mais limpas esteticamente falando, e alguns elementos são quase como uma assinatura, como a maçã verde, os homens de chapéu coco, e a subversão da ordem vigente. Uma obra famosa é “A Traição das Imagens”, a do cachimbo, embaixo lê- se em francês a frase “isso não é um cachimbo”. O que faz muito sentido, já que ele estava “representando um cachimbo ” através do desenho.

O Filho do Homem, de René Magritte

Um momento bem legal foi, quando em para Nova Iorque, simplesmente me perdi no Museu de Arte Metropolitano (ou MOMA). De repente, entrei em uma sala enorme, cheia de gente, como estavam todos com uma taça na mão, me toquei que eu estava numa vernissage, até aí tudo bem! Eram obras do Magritte! Só quando voltei para o Brasil que descobri que simplesmente eu estava numa das maiores retrospectivas de Magritte!

Sorte ou não? É um dos meus artistas favoritos! Vocês podem encontrar referências dele em filmes e facilmente na internet..Estou em busca de algum filme sobre a vida dele, se alguém souber me falem!

E como estão de quarentena! Lembrem-se #stayhome#ficaemcasa e usem máscaras! Boa semana pessoal!

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Foto de Abertura: Obra Golconda, de Magritte

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *