O Kitsch volta pra Moda outra vez!

Como esperei esse momento! E faz muito sentido que seja agora, agorinha, nesse exato momento: períodos de grandes restrições faz com que boa parte das pessoas tenham o desejo de fazer e usar extravagâncias, colocar toda uma energia criativa acumulada pra fora. O Kitsch é um respiro e traz toda essa possibilidade à tona.

O personagem Agostinho Carrara foi ícone kitsch da TV brasileira. Colagem: Pinterest

Kitsch é uma palavra de origem alemã derivada de “verkitschen”, que pela tradução literal significa sentimentalizar. Esse termo nasceu na época da Revolução Industrial, nos estudos de arte e estética e era usado no sentido pejorativo, classificando objetos como de mau gosto, exagerados e até cafonas. É, basicamente, o cafona sentimental: é aquela toalhinha de vó meio esdrúxula que a gente ama, aquele cofrinho de porquinha com batom, aqueles enfeitinhos de porcelana terríveis que a gente continua guardando ou expondo por razões sentimentais…

Anna Sui /Divulgação

E o kitsch vira ouro na Moda e no fashionismo: é o que possibilita aquelas combinações meio estrambólicas que a gente ama, usar juntas duas peças que aparentemente não fazem o menor sentido, mas que a gente ama assim, desse jeito, e que faz todo sentido pra gente quando a gente se olha no espelho. Na Moda, o kitsch também fala de extravagância e exagero, um lance meio Elton John em seus anos dourados, sabe?

Marine Serre/Divulgação

Pra criar um look kitsch realmente descolado, o segredo é misturar referências, coisas que estejam super em alta com outras referências populares mais fora de foco; misturar não apenas estampas, mas misturar AS estampas, padrões que juntos realmente levantem um ponto de interrogação e que unidos fiquem interessantes e instigantes ao olhar.

Bruna Lee/Divulgação

Nos últimos 7 anos, mais ou menos, essa é uma tendência que tem sido uma aposta mais de marcas que trabalham com o streetwear de luxo. Mas do ano passado pra cá, designers e até mesmo marcas mais pop comercial, como Marine Serre (minha diva), Coach e Anna Sui também estão invocando o espírito sentimentalista e melodramático do kitsch em suas coleções.

Foto: Pinterest

Ainda que você não seja fã de tanta mistura e extravagância, de alguma forma essa tendência vai te favorecer. Impossível abrir o armário e não encontrar pelo menos algumas peças que tenham a ver com esse movimento fashion. Eu fico feliz porque, além de me inspirar na composição de diversos looks, isso significa a possibilidade de encontrar uma plateia mais aberta para coisas que já queria lançar na loja há um tempo, mas que ainda não cabia no momento. Nossa mesa vai ferver!

Ana Paula Barcellos

Escritora, mocinha do medalhão persa, marketeira e pesquisadora de tendências. Trabalha com as marcas Madame B., Maria Jujuba Rock e Pinacola.

Foto: Coach – Divulgação

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *