Nova York Contra a Máfia é a bola da vez em documentários

Depois do incrível sucesso que fez a série Making a Murderer, o serviço de streaming Netflix descobriu que as bizarrices documentais sobre crimes e assassinatos eram uma mina de ouro de audiência. Ou seja, produção de baixo custo que prende a curiosidade do espectador. Observe a enxurrada de produções desse tipo que apareceram ultimamente: Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy, Wild Wild Country, Mistérios Sem Solução, O Desaparecimento de Madeleine McCann, Amanda Knox e muitos outros.

Mas se você gosta de séries e filmes sobre a máfia, este lançamento é imperdível. Ao contrário de outras séries como Peaky Blinders, que tentam glamourizar e romantizar a trama com cenas em câmera lenta, roupas elegantes, amores impossíveis, Nova York Contra a Máfia é uma série documental, nua e crua, procurando o osso do problema.

Nova York Contra a Máfia é baseada em histórias reais das famosas famílias ítalo-americanas Bonanno, Colombo, Gambino, Genovese e Luccese. Essas cinco famílias de mafiosos controlavam Nova York nos anos 70 e 80, organizando roubos em gangues, fabricando e vendendo bebidas alcoólicas sem licença e controlando diversas indústrias de diversos tipos. Se você assistiu a trilogia O Poderoso Chefão (1972, 1974, 1990) vai conseguir visualizar melhor este contexto de assassinatos, brigas, agiotagem e tráfico de drogas. Até que, ancorado na coragem do procurador do Distrito Sul de Nova York Rudolph Giuliani, que implantou a política da tolerância zero na cidade, surge um grupo de agentes federais que conseguiu o que parecia impossível, acabar com todo esse poder.

A primeira parte da série mostra o domínio da máfia sobre Nova York na década de 1970, onde as cinco famílias passam a controlar todos os sindicatos da cidade. A segunda parte se passa na década de 1980. As famílias começam a controlar também o ramo imobiliário, as reformas e construções dos prédios. Neste ponto os agentes começam a agir para conseguirem provas que incriminem as famílias. Na terceira parte, final dos anos 80, os assistentes da procuradoria da cidade de Nova York, juntamente com Giuliani e com as provas que o FBI obteve através de grampos telefônicos, conseguem incriminar os poderosos chefões mafiosos, levando a um inimaginável julgamento para a época. Este fato catapultou a carreira política de Giuliani, considerado por muitos como o melhor prefeito que Nova York já teve.

Série documental muito bem dirigida, com trama interessante e bom ritmo.

Marcelo Minka

Graduado em licenciatura em Artes Visuais, especialista em Mídias Interativas e mestre em Comunicação com concentração em Comunicação Visual. Atua como docente em disciplinas de Artes Visuais, Semiótica Visual, Antropologia Visual e Estética Visual. Cinéfilo nas horas vagas.

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *