Mutirão quer zerar fila de mulheres à espera de cirurgia ginecológica

Atualmente, há 415 mulheres esperando procedimento e todas deverão ser atendidas até agosto de 2020

O LONDRINENSE com assessoria

Com o objetivo de zerar a fila de espera de mulheres que aguardam por uma cirurgia ginecológica, o prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, lançaram nesta segunda-feira (5), o mutirão especializado no Hospital da Zona Sul. Atualmente há 415 mulheres esperando um procedimento cirúrgico. Desse total, 80 farão a cirurgia já nos próximos dias.

A intenção é atender a todas as mulheres que já passaram por consultas nas Unidades Básicas de Saúde e foram encaminhadas aos médicos especialistas, sendo que estes apontaram a necessidade do procedimento cirúrgico. Para o prefeito, a ação é necessária dado o alto número de mulheres à espera. Os mutirões, segundo ele, vêm com o objetivo de zerar as filas de espera, garantindo mais saúde e bem-estar para a população que mais precisa. “Lançaremos outros no sentido de amenizar o sofrimento dessas pessoas que aguardam há tanto tempo”, disse o prefeito.

Ao todo, serão realizadas até agosto de 2020, 600 cirurgias ginecológicas, sendo que todas elas são de média complexidade e serão realizadas pelos médicos e profissionais do Hospital da Zona Sul. “São cirurgias de várias especialidades, como de retirada de útero, de miomas e de bexiga caída. São situações em que as mulheres acabam perdendo sua qualidade de vida”, lembrou o secretário de Saúde.

O recurso financeiro que custeará as ações são da Prefeitura de Londrina, sendo que devem ser investidos cerca de R$ 600 mil dos recursos livres municipais. Isso porque cada procedimento cirúrgico gira em torno de R$ 1 mil. O diretor-geral do Hospital da Zona Sul, Geraldo Junior Guilherme, explicou que serão utilizadas quatro salas médicas para a realização de mais 50 cirurgias mensais, além daquelas já realizadas de rotina.

“Temos uma unidade cirúrgica separada dos demais pacientes clínicos. O Hospital tem 117 leitos, 70 de clínica médica e 27 de clínicas cirúrgicas. Trabalharemos com a taxa de ocupação acima dos 90%, o que é possível operacionalizar. Não é fácil, mas nós fizemos todos os estudos e isso será possível”, ressaltou o diretor.

Mais mutirões de cirurgias – Segundo dados oficiais, quase 10 mil pessoas já foram atendidas pelos mutirões da saúde que a Prefeitura de Londrina vem realizando. Entre eles, cerca de 2 mil pessoas já foram beneficiadas com próteses ortopédicas, outras mais de 1.200 com a aquisição de aparelhos auditivos e 5.423 pessoas participaram do mutirão de catarata. Além desses mutirões, a Prefeitura fará outros, como o ortopédico com cirurgias de média e alta complexidade, de otorrino e de cirurgias gerais. Também está sendo feita a reorganização do sistema de filas de espera, para que depois de zeradas, elas não voltem a se formar.

Foto: Pixabay

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *