Hemocentro/HU começa coleta de plasma hiperimune de covid-19

Pacientes que tiveram a doença há mais de 45 dias e menos de 180 dias podem doar sangue para ajudar em pesquisa. Plasma será usado como forma de tratamento em casos leves

Telma Elorza

O LONDRINENSE

O Hemocentro Regional de Londrina do Hospital Universitário de Londrina deve começar hoje a colher sangue de pessoas que tiveram covid-19. Duas pessoas já estão agendadas para coleta esta quarta-feira (16). O sangue será separado em subprodutos chamados hemocomponentes, e o plasma será direcionado ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar), rede da qual o Hemocentro faz parte. O Hemepar está desenvolvendo um projeto-piloto que permite a utilização de plasma como procedimento experimental no combate ao mesmo coronavírus, causador da Covid-19.

Segundo o hematologista e chefe do Hemocentro Regional, Fausto Trigo, explica que estão sendo convidados pessoas, homens e mulheres, com idades entre 18 e 59 anos completos, que tiveram covid-19 no mínimo há 45 dias e no máximo, há 180 dias, que estejam sem sintomas gripais ou problemas respiratórios há 30 dias e que não tenha sido entubados ou recebido de respiração mecânica. Também não podem ter recebido alguma transfusão de sangue.”As mulheres também não podem ter tido gestação ou abortamento prévios”, diz.

O projeto-piloto do Hemepar consiste em utilizar o plasma (parte líquida do sangue) coletada dos pacientes que se recuperaram da infecção pela doença para tratar pessoas que tenham sido contaminadas pelo vírus e estejam no início dos sintomas, ainda no quadro leve. “O Paraná ainda está a aguardando aprovação de protocolo da pesquisa para o uso de plasma convalescente de covid em pacientes internos. Mas esse plasma que está sendo coletado agora é pra uso compassivo, o que se dá de uma droga ao paciente porque o médico acredita que pode haver melhoras. Inclusive o paciente tem que assinar um termo de autorização”, explica o médico.

No entanto, o restante do sangue doado por pacientes que tiveram covid poderá usado também em transfusões, sem maiores problemas. “Como qualquer infecção, após ter melhorado, a pessoa pode doar sangue normalmente. Respeitado os prazos, vai ajudar nossos estoques que estão sempre baixos”, afirma Trigo.

Os interessados em doar devem agendar especificamente pelo telefone (43) 3371-2356. “Como estamos trabalhando só com agendamento, e esse é um caso específico, temos que organizar da melhor forma, na medida da disponibilidade”, disse.

Foto: Venilton Kuchler/SESA

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *