Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars

Estamos oficialmente na metade do ano e tudo indica que teremos algum tempo ainda de quarentena, desgastando o sofá já velho. E o serviço de streaming sempre surpreende, e mais ainda a reação de seu público. Séries complicadíssimas em sua trama às vezes fazem um grande sucesso, por exemplo “Dark”, que conquistou uma legião de fãs em todo o mundo. Outro exemplo é o genial “Aniquilação”, dirigido por Alex Garland, que foi um fracasso. Impossível prever o que vai acontecer com a audiência.

É o que aconteceu com o besteirol “Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars”, que estreou esta semana na Netflix. A trama se desenrola a partir de uma dupla de músicos amadores da Islândia que, por acidente, são convidados a participar do Eurovision. O festival Eurovision realmente existe desde 1956, e é um fenômeno de audiência com mais de 190 milhões de espectadores europeus e americanos.

Com inexplicáveis duas horas de duração, a direção fica por conta de David Dobkin (Penetras Bons de Bico-2005 e vários clipes musicais da banda Maroon 5). Contando em seu elenco com Will Ferrell e Rachel McAdams, o filme é uma grande paródia sobre o festival. Dobkin consegue arrancar algumas risadas tímidas quando exagera nas cenas, na breguice dos clipes musicais, na coreografia, nas roupas dos dançarinos e nas expressões faciais dos atores.

Apesar de tudo, o filme apresenta boas músicas em sua trama simples e linear, e a dupla Ferrell e McAdams tem carisma de sobra para segurar as pontas na falta de criatividade do roteiro. As apresentações musicais do festival rendem as melhores cenas, do tipo comédia pastelão e vergonha alheia. Rachel McAdams rouba as cenas dublando a cantora pop sueca Molly Sandén. E fique atento, você verá e ouvirá várias participações especiais de cantores conhecidos do grande público, cantores descobertos no Eurovision real.

Como diria minha avó, meio sem sal nem açúcar, mas um bom filme para terminar mais um dia em home office. Divirta-se.

Marcelo Minka

Graduado em licenciatura em Artes Visuais, especialista em Mídias Interativas e mestre em Comunicação com concentração em Comunicação Visual. Atua como docente em disciplinas de Artes Visuais, Semiótica Visual, Antropologia Visual e Estética Visual. Cinéfilo nas horas vagas.

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *