Esgotamento materno

Existe uma expressão muito usada por psicólogos para descrever o esgotamento de uma pessoa no trabalho – Síndrome de Burnout. Geralmente é causado por um ambiente de trabalho hostil, remuneração inadequada, sobrecarga, chefe que não sabe liderar e uma pessoa que passa por esses estresses por um longo período de tempo começa a ter sintomas físicos – ataques de ansiedade, irritabilidade, dores musculares, enxaqueca, insônia e, inclusive, depressão. Recentemente começaram a diagnosticar mães com esses sintomas. O Burnout chegou na maternidade!

Mães sobrecarregadas. Nossa sociedade atual está repleta de mulheres que trabalham fora e dentro de casa, e ainda fazem todo o trabalho mental que é necessário ter para uma casa funcionar adequadamente – principalmente quando se tem filhos. 

Muito mais do que o trabalho braçal exigido quando você tem uma criança – dar banho, ajudar a vestir, fazer a comida, limpar a sujeira, levar para lá e para cá todos os dias – , o que a maioria das mulheres reclama é desse trabalho de organização mental. Antes de dormir, ao invés de relaxar e descansar, mães costumam fazer uma lista de atividades rotineiras que não acabam nunca: o uniforme da escola está lavado? Amanhã tem natação, as coisas estão separadas? Depois disso tem aula de inglês: fez a tarefa? Amanhã tem aula prática: tem que levar uma bola de plástico. Não tem bola? Tem que comprar uma bola. A mochila está pronta? O tênis secou? Amanhã é dia de levar bolacha integral no lanche! Tem? Não tem! Tem que comprar! A roupa ficou na máquina! Tem que estender! Socorro!

Junto com isso, geralmente, essas mulheres também têm compromissos profissionais, atividades próprias e chega uma hora que dá vontade de chorar e sair correndo!

O Burnout é um esgotamento grave e, se você percebe que passa mais tempo triste e irritada do que feliz, algo está errado!

Primeira coisa: peça ajuda. Faça uma tabela da semana para que você não precise pensar em todas essas coisas, todos os dias. Tire meia hora do seu tempo somente para olhar essa tabela e organizar as coisas para o dia seguinte (e funciona melhor se você fizer isso pela manhã, porque aí você pode deitar e dormir à noite).

Divida essa lista mental com seu parceiro ou com a pessoa que lhe ajuda. 

Quando uma mãe está estressada e sobrecarregada, não consegue ser feliz nem deixar a casa feliz. Cuide de você para que aí, sim, possa cuidar dos outros! Burnout é coisa séria! Não deixe chegar nesse ponto! Boa sorte!

Foto: Pixabay

Paula Barbosa Ocanha 

Jornalista, casada, trinta e poucos anos, dois filhos e apaixonada por educação infantil. Mesmo antes de casar, eu lia e me interessava por técnicas de educação, livros de pedagogia e questões sobre o desenvolvimento humano, principalmente na primeira infância. Com essa coluna, gostaria de relatar minhas experiências pessoais. E assim espero lhe ajudar, de alguma forma, a passar mais facilmente por essa linda (e assustadora) jornada da maternidade! Vem comigo e me siga também no Instagram @mamaepata

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *