Corpos e rostos, formas como quaisquer outras

Artistas podem usar a imagem do corpo humano tanto pra transforma-los em seres angelicais como Miguelangelo na Capela Sistina, quanto para seres infernais como Bosch ou Goya!

No mundo das artes, quanto mais exagerado ou assimétrico é um rosto, mais expressivo ele se torna. Picasso ainda deu uma nova forma quando, junto com Braque, criou o cubismo. Eles queriam que uma bidimensão fosse o impossível, uma tridimensão! Então pintaram rostos e corpos em vários ângulos na mesma figura, dando a impressão de estamos olhando num quadro de espelhos.

Na década de 20, com as grandes guerras, o expressionismo foi uma grande arma para os artistas (desculpem o trocadilho), mas assim era! Deformar corpos e rostos , deixava a obra mais expressiva e, assim, eles podiam falar do horror que era a guerra e fazer alertas. Hitler detestava esses artistas, expulsando alguns e matando tantos outros, já que eles eram uma denúncia viva do que ele faria e fez!

Muitos moralistas de plantão, que devem ter nascido de abóboras e tomam banho de roupa, fazem críticas ácidas a alguns artistas por usarem a figura do corpo humano. Mas para os artistas, elas são formas como tantas outras.

Aliás, Miguelangelo teve muitos problemas com isso, tanto que fizeram a heresia de pintar panos vermelhos em cima das partes íntimas das figuras da capela. O que foi irônico, pois o vermelho é uma das cores que mais chamam a atenção de longe, ou seja , se não queriam que passasse despercebido , estavam lá , no foco mais temido deles por séculos!

Na grande restauração que fizeram da Capela, tiraram os tais paninhos e agora podemos ver toda a obra magnífica extremamente angelical!

Não é de hoje que artistas tem que aturar gente sem um pingo de noção e cobertos de um moralismo idiota! O bom é que obras de arte sobrevivem a eles!

Quando estiver frente a qualquer obra que tenha a figura humana como inspiração, tente observar o que a figura diz para você, sentir a atmosfera do trabalho e assim poder aproveitar o máximo da obra!

Bom final de semana a todos!!!

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Fotos: acervo pessoal

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *