Conheça as cores e a força da Xongani

Na véspera do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, quero falar sobre uma marca incrível que a gente tem por aqui e que faz um trabalho fantástico que vai além das criações e das roupas, um trabalho que transcende através da linha, do tecido, dos adornos e das palavras: a Xongani Moda Afro.

Foto: Facebook Xongani

Descobri a grife e o trabalho da Ana Paula Xongani através de amigas em comum, nas redes sociais. De cara, me apaixonei pelas peças e quis saber mais sobre o ateliê e sobre quem era responsável por aquelas maravilhas. Minha curiosidade rapidamente ultrapassou a linha estética e eu fui atrás de saber mais sobre a própria Ana Paula e tudo o que ela realiza –  o trabalho dela é tão potente e significativo que imediatamente passei a acompanhá-la nas redes.

Foto: Facebook Xongani

Mais do que influenciadora e colunista de moda (e também apresentadora de TV, ela tem um programa no canal GNT), Ana Paula é uma das grandes referências nacionais em moda e estilo afro-brasileiro; ela é militante do movimento negro, feminista, e fala Brasil afora sobre a importância de fortalecer a autoestima da mulher negra e também sobre os desafios do empreendedorismo negro no Brasil.

Formada em design, Ana Paula é sócia-proprietária da Xongani, que tem como missão principal resgatar e valorizar a cultura africana no país. O carro chefe da label é justamente a capulana, tecido tradicional de algumas das culturas locais do continente africano.

Foto:Facebook Xongani

Xongani é uma palavra do changani, língua falada no Sul de Moçambique, que significa “arrumem-se”, “enfeitem-se”, “fiquem bonitas(os)”. Forte, poético e perfeito, uma vez que o slogan da marca é: Mais que estilo, é autoestima!

A grife é uma parceria entre mãe e filha e traz acessórios e roupas com cores lindas, fortes e vibrantes, cheias de padrões étnicos. São vestidos, cachecóis, turbantes, brincos, colares… e tudo é incrível, mas minha paixão maior é, sem dúvida, pelos acessórios.

Foto: Instagram Xongani

Os brincos são fantásticos: em formatos básicos, com pegada retrô, mas extremamente arrojados e modernos – o que é muito interessante porque ainda assim eles fazem esse resgate incrível de tradição e ancestralidade. Um dos meus preferidos é esse redondo enorme da foto, encapado com tecido.

Foto: Instagram Xongani

O colar Ifemelu é outra peça simplesmente maravilhosa, o tipo de peça que faz o look. Não importa o que você vai vestir ou usar na composição, o ponto focal vai ser sempre o colar! Não tem como desviar os olhos dele.

E várias das peças integram a Ação Xongani Solidária, que tem o lucro das vendas revertido para o Lar Maria Sininha (@larmariasininha) que atende as famílias da periferia da Zona Sul de São Paulo em dificuldades por conta da pandemia.

A Xongani é uma marca completa, dessas que faz a gente ter orgulho de apresentar como referência. Para ver mais peças e se encantar com o trabalho dessa dupla, só acessar o @ateliexongani ou o site.

E vale muito a pena, mesmo, acompanhar o trabalho da Ana Paula, tanto na TV quanto nas redes sociais . Agora ela também tem uma coluna semanal no Universa, do UOL. Recomendo muitíssimo a leitura do texto dessa semana, que fala sobre como aquilo que a gente chama de tendência sustentável e trata como uma super novidade, a periferia sempre fez (veja aqui).

Ana Paula Barcellos

Escritora, mocinha do medalhão persa, marketeira e pesquisadora de tendências. Trabalha com as marcas Madame B., Maria Jujuba Rock e Pinacola.

Foto: Redes sociais Xongani

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *