Cards de Pokémon ou uma Ferrari? Você escolhe

Na semana passada a gente falou aqui na coluna do americano sortudo que achou uma cópia lacrada de Kid Icarus e a vendeu por US$9.000. Hoje eu trago aqui outra história de venda de itens raros, só que o valor aqui foi beeem maior.

O lote em questão é composto de 103 cards originais da primeira edição de Pokémon de 1999 – uma das cartas é o #4 Charizard holográfico, o Santo Graal dos cards dos monstrinhos de bolso.

O pacote foi arrematado por mais de US$ 107.000 no final de semana , quase R$ 435.000. Se você tem esse dinheiro disponível e perdeu o leilão ainda pode gastar na compra de um apartamento ou mesmo de uma Ferrari.

“Mas Calsavara, por que o valor foi tão alto?”, você pode estar se perguntando. Não é pelo fato de reunir todos os 103 cards – segundo especialistas, é possível completar o fullset com cerca de US$ 1.000. A questão aqui é que todos os cards foram avaliados como GEM MINT 10. São joias em estado de novo mesmo depois de 20 anos de fabricação.

De acordo com o diretor de consignações do site de leilões onde a venda foi concretizada, o estado dos cantos das cartas, assim como a consistência da cor e o brilho foram decisivos na avaliação. “Na parte de trás os cards tem uma cor escura, a margem azul de Pokémon. Não dá para perceber se você não olhar de muito perto, mas às vezes na parte de trás podem existir alguns risquinhos brancos. Para conseguir essa nota perfeita, a cor tem que estar perfeita”, disse.

Não dá para questionar muito o valor desse leilão. Diferente do sortudo de Nevada, nesse caso é claro que quem colocou o lote à venda já tinha essa intenção quando comprou as cartas e as manteve intactas. O preço é alto, mas ainda é bem menor do que o custo do arremate da maior coleção de videogames do mundo, vendida em 2014 por mais de US$750.000!

Fotos: divulgação

Fábio Calsavara

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é BIO_CALSAVARA-2-1024x768.jpg

É jornalista e gamer raiz. Do tempo em que criança jogava fliperama em boteco de rodoviária.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *