Cai número de notificações de casos de dengue em Londrina

Número de confirmações de casos vem decrescendo a cada semana ainda há uma quantidade expressiva de testes aguardando resultados

Equipe O LONDRINENSE com assessoria

Depois de confirmar epidemia de dengue, na semana passada, a Secretaria Municipal de Saúde anunciou nesta sexta (12) que foram estimados apenas 60 novos casos, contra 99 na semana passada e as mais de 270 notificações feitas há três semanas, o que sinaliza uma tendência de queda em novos casos sob investigação. Desde o início do ano, foram confirmados, segundo boletim oficial, 1.845 casos positivos de dengue em Londrina.

O menor índice de confirmações, segundo a Secretaria, deve por conta das baixas temperaturas, agora em julho, somadas à atuação intensificada dos agentes de Endemias nas localidades com casos confirmados. De um total de 12.393 notificações de dengue no município, foram descartados 5.156 casos, com resultado negativo em exames. E outros 5.599 pacientes aguardam o resultado dos testes laboratoriais, que são analisados em Curitiba no Laboratório Central (LACEN).

LIRAa

Começa nessa segunda (15) o terceiro Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) do ano. Todos os agentes de Endemias percorrerão cerca de cinco mil imóveis de Londrina, incluindo comércios, residências e terrenos baldios. “De segunda-feira (15) a sábado (20), vamos iniciar o novo levantamento do índice amostral, para que possamos saber qual o índice de infestação, e quais são os depósitos predominantes, se são recipientes dentro das casas, como vasos de flor e plantas. Nossa expectativa é que o índice de infestação vá reduzir, mas para a faixa de 3 a 4%”, comentou a diretora de Vigilância em Saúde do Município, Sônia Fernandes. O índice para uma situação satisfatória é inferior a 1%:; de 1% a 3,9%: estão em situação de alerta; superior a 4%: risco de epidemia.

Sônia explicou que, mesmo com diversas ações de combate ao Aedes, como aplicação do veneno por meio dos carros, o fumacê, limpeza de áreas públicas e diversas outras iniciativas realizadas no primeiro semestre, sem a adesão da comunidade nesse intuito não haverá melhora na eliminação dos focos do Aedes. “Último índice de infestação predial foi de 5,3%. Não creio em uma diminuição muito maior, pois a maioria dos focos está dentro das casas. E, mesmo com a ausência de chuvas ou outras situações, os moradores continuam mantendo objetos com água, o que propicia que ainda encontremos focos dentro das residências”, destacou.

O levantamento de campo deve prosseguir até sábado (20). Depois, será feita a análise dos dados obtidos e a divulgação do resultado está prevista para o dia 1º de agosto

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *