Cadê políticas culturais para Londrina?


Já falei várias vezes aqui, na coluna, como funciona alguns ângulos da vida dentro do mundo das artes….Hoje, assistindo uma live, tive um insight sobre o que é ser artista, o que é dar aulas de arte: “ser artista é ensinar as pessoas a desbloquear a criação”!

Aquele fluxo que fica estagnado na vida das pessoas, que as impedem de serem elas mesmas, por medo do ridículo, ou do que as outras pessoas vão pensar! Achei bárbaro!

Porque falar que arte não é importante chega a ser uma heresia, já que a informação está ao alcance de qualquer pessoa que tenha um celular com internet.

E já que a arte é importante para o desenvolvimento mental e emocional do ser humano, a parte prática é transformar todo um cabedal de conhecimento em projetos que cheguem para todos! E quem faz esses projetos?

Os artistas, os gestores criativos, quem está engajado com a arte e com o propósito de evolução do ser humano…Pois bem!

Esta semana foi anunciado o novo secretario da cultura…(Aliás, “novo” maneira de dizer, pois o Bernardo já foi secretário da Cultura), e talvez ninguém se lembre que foi na época dele que a sala Antônio Teodoro fechou…uma sala inadequada para exposições, sim! Mas cheia de histórias importantes para a cidade! 

Foto: Arquivo/LondrinaCultura

Foi naquela época que tivemos os maiores embates sobre questões culturais que, no final das contas, não produziu grandes frutos para a cidade! E quem discorda, basta ver como estamos de cenário cultural hoje em dia! E não culpem a pandemia! Só quem vive ou tenta “sobreviver” da arte nessa cidade sabe como é o gosto do “pão que o diabo amassou com o rabo”!

Lembrando que viemos de secretários ao longo do caminho que não se dispuseram realmente a  ouvir o que os produtores queriam e precisavam e ninguém lutou realmente para Londrina ter uma política pública da cultura!

Os artistas nunca deixaram de batalhar, mas sempre com esforço enorme e dinheiro do próprio bolso!

Vejam bem! Não é um ataque pessoal, mas quem é produtor aqui sabe o que acontece ou não acontece…E não adianta taparmos o sol com a peneira!

Foto: Vivian Honorato/N.COM

Entra prefeito e sai prefeito, entra secretário e sai secretário e eu pergunto: aonde está um plano consistente para a cultura voltar a funcionar nessa cidade?? Aonde está um plano para a reforma do museu de arte, a abertura de salas de exposições que funcionem, o teatro municipal que nunca saiu do papel, a volta dos grandes festivais que essa cidade já teve, as políticas culturais para dar reforço aos criadores?

E não venham me falar da lei de incentivo! Cultura é mais que isso! É ouvir os profissionais de cada setor, é ter verbas para catálogo, grandes exposições, profissionais que cuidem das galerias e museus, conseguir verbas para festivais de artes, de dança, música, teatro, cinema e outros!

É criar espaços decentes para que os produtores possam dar cursos, é dar meios e incentivos para a cultura fluir! É so mirar o que acontece em Curitiba! 

Londrina! Uma cidade aonde flui muito dinheiro não tem um museu de arte decente! Para quem não sabe, somos motivos de chacotas lá fora, por todos os absurdos que passamos por aqui!

Então termino a coluna de hoje, com uma pergunta apenas: Teremos ao menos um plano de uma política para as artes em geral? Oremus!

Carpe diem!

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Foto: Andrew Neel no Pexels

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *