Audiência pública apresenta novidades para mobilidade urbana

Encontro aberto ao público reuniu especialistas e a comunidade em geral para debater soluções para o trânsito e o transporte em Londrina

Na noite de ontem, quarta-feira (27), a Prefeitura de Londrina, por meio do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL), realizou a 2ª audiência pública do Plano de Mobilidade Urbana. O encontro foi no auditório Ouro do Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (SINCOVAL) e contou com a presença das principais autoridades de trânsito e transporte da cidade.

Para o presidente do IPPUL, Roberto Alves Lima Junior, os debates foram muito positivos.  Também foi uma oportunidade de apresentar outras explicações técnicas acerca do software de modelagem que o IPPUL passa a operar com a entrega do Plano de Mobilidade Urbana. Com isso, a população e os especialistas no assunto tiveram a oportunidade de tirarem as dúvidas e de terem subsídios para avaliar as políticas e ações propostas pela Prefeitura de Londrina.

Isso porque, a ferramenta foi pensada levando-se em consideração a ampla revisão dos projetos viários produzidos e estocados, bem como previstas na legislação que trata deste assunto, Assim, é possível avaliar qual é o resultado de cada intervenção a ser promovida no Município como, por exemplo, quantas viagens são realizadas na via com intervenção, quantas a mais ou a menos ela passará a receber com as obras no entorno, qual é a capacidade de tráfego de pessoas e veículos com o novo traçado, e quantas pessoas serão beneficiadas com isso. Enfim, informações sobre como e de qual maneira a obra interfere na mobilidade urbana de toda a cidade, inclusive estabelecendo ordem de prioridade.

“A audiência foi bem positiva. Foram apresentados vários exemplos de intervenções para melhorar a mobilidade na cidade, principalmente em áreas centrais que têm mais movimento. E também foi feita a explicação sobre o software de modelagem que o IPPUL passa a operar. Foi muito produtivo”, disse Lima Junior.

Segundo Denise Ziober, coordenadora do Plano, foram apresentados também o Plano de Rotas acessíveis e Plano Cicloviário, que nasceu da revisão do plano existente e elaborado pelo IPPUL.

O transporte coletivo também foi foco de discussões, com a apresentação dos objetivos e estratégias para revisão da rede de serviços. Dois produtos ainda serão desenvolvidos e discutidos com a população, o Estudo Específico de mobilidade para a área central de Londrina e a Readequação da rede de transporte coletivo.

Com a realização da 2ª audiência pública, os trabalhos para a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de Londrina entram na fase final, em que as propostas apresentadas serão avaliadas e confrontadas com os dados, para, então, serem validadas pelos órgãos públicos municipais e formarem o Projeto de Lei.

A intenção das audiências públicas é expor para a população uma previsão do crescimento e das mudanças em questões de mobilidade urbana, meios de transporte, e dos deslocamentos da população, além de apresentar os objetivos e diretrizes contendo as concepções propostas, fazendo a avaliação e a priorização das propostas, assim como dos Planos de Gestão de Demanda e Oferta, e de Ação e Monitoramento.

A ideia é elaborar coletivamente um Plano de Mobilidade para Londrina, que englobe as preocupações e as necessidades dos mais diversos públicos para os próximos 20 anos e organizar o crescimento do município de forma integrada, gerando mais qualidade de vida para a população e atendendo à legislação federal.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *