Arte, dom ou estudo

Ser artista “é um dom”! Sim, assim como ser médico, ou terapeuta ou cozinheiro e etc.

É logico que precisamos ter vocação para determinados tipos de trabalhos. Imagine se o psicólogo não tivesse a paciência para ouvir? Para dizer o mínimo… mas, vocação ou “dom”, é só uma parte dentro de um longo processo de estudos e aperfeiçoamento…

Um artista, assim como todos os profissionais, vai levar uma vida toda para se aprimorar, ou criar “obras primas”. Saber técnicas, materiais, história, geografia, línguas, ler sobre os mais diversos assuntos, inclusive física, química, filosofia…

Ler poesia, saber sobre todos os aspectos do processo de criação… E ainda sobreviver com o fato que estamos num país subdesenvolvido e lidar com a tremenda falta de educação e respeito da grande parte das pessoas que não sabem nem para que serve a arte.

E estou falando do artista, e ainda nem cheguei em quem também é professor de artes!

O que já disse, acho o processo totalmente errado! Um professor de artes deveria no mínimo saber muito de arte ou ser artista e ter sua própria obra!

E gostaria muito de que as coisas mudassem nesse aspecto! Copiamos tantas coisas fúteis de outros países, porque não seguirmos também os aspectos bons e que deram certo?

Para alguém poder entrar numa faculdade de artes, não deveria prestar o vestibular, mas mostrar o seu trabalho! Mostrar suas obras para os profissionais e orientadores, eles iriam então analisar o nível do aluno e trabalhar com cada um os aspectos do seu desenvolvimento!

Vocês podem me dizer que isso não dá certo! Olhem para Inglaterra! É possível sim! Só com profissionais competentes nas escolas podemos mudar as coisas, ensinar as crianças desde cedo a importância da arte e não a “pintar uma arvore de verde e marrom” e faze-las copiar!

Não existe um aluno ruim, existe um despreparo total de tudo nesse país! Mesmo os colégios mais caros da cidade não têm uma sala de artes decente! Aliás, nem tem salas!

O que se aprende, na maioria das vezes, nas faculdades é a parte absolutamente teórica ou para dar “aulas”. Ora, será que não é possível você ser artista sem dar aula?

Será que não é possível mostrar para esses estudantes que existem várias formas de se viver de arte?

Vejam bem! Aqui não generalizo nada e nem é esse o objetivo, conheço alguns professores de arte que sabem muito e, ao meu ver, fazem milagres nas escolas, e são maltratados, menosprezados, ganham pouco, lutam para conseguir aulas em salas com mais de 40 alunos por turma e ainda tem sua matéria tachada de “supérflua”!

E sabem porquê? Assim como a filosofia, a arte ensina a pessoa a se conhecer e a pensar, que governo de meia tigela quer um povo pensante? Lembrem que Hitler expulsou e matou os artistas na segunda guerra, que dirá um país como o nosso, cheio de corruptos por todos os lados, que só pensam em enriquecer às custas do suor dos outros?!

Outra coisa! Que tal fazer parte de uma campanha de apoio aos artistas e aos artesãos? Respeitando o trabalho deles e pagando o preço justo que as obras merecem. Que tal comprar dos artistas e artesãos locais para começar e dar uma força? Mas não para fazer caridade, e sim para apoiar a produção.

Fica a dica!

Boa semana para todos!

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Fotos: acervo pessoal

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *