Alguns artistas e seus finais trágicos

Essa semana, estava procurando um documentário bacana para assistir e, por coincidência, me deparei com dois: um sobre as mulheres de Picasso e outro sobre o romance de Modigliani.

Amedeo Modigliani era italiano, mas radicado em Paris, morreu aos 35 anos, vítima de meningite, agravada pelo trabalho constante, drogas e álcool, em 24 de janeiro de 1920.

De vida boêmia e desregrada, mas extremamente talentoso, Modigliani, possuía um estilo inigualável! E conviveu com os grandes de sua época, como Picasso e tantos outros artistas plásticos e poetas. Naquela época antes da grande guerra todos acabavam em Paris, lá era a meca das artes !

Jeanne Hebuterne, então sua esposa, suicida-se no dia seguinte a morte de Modigliani, ela estava grávida de nove meses.

Pablo Picasso

Já Pablo Picasso morreu em idade avançada em 1973, aos 91 anos. Picasso era célebre por seus retratos entre muitas obras, extremamente prolífico, deixou pinturas, esculturas, cerâmicas, desenhos, um acervo de obras que valem bilhões e muita discórdia familiar!

Guernica

Nove mulheres foram imortalizadas por ele, Fernande Olivier; Eva Gouel, que morreu jovem de tuberculose; Gaby Lespinasse; Olga Khokhlova, que lhe deu o primeiro filho, Paulo, que anos depois morreu vítima do alcoolismo; Marie-Therese Walter, que lhe deu a filha Maya se enforcou; Dora Maar; Françoise Gilot, que deu os filhos Claude e Paloma; Genevieve Laporte e, por último; Jacqueline Roque, que ficou com Picasso até a morte desse e se matou com um tiro. Seu neto Pablito tomou uma garrafa de água sanitária e morreu.

Dizem que Picasso era um homem extremamente controverso e, é claro, ninguém saia ileso do convívio com ele. Deixou uma fortuna incalculável e a família completamente desequilibrada…

Outro caso conhecidíssimo é de Van Gogh e seu irmão Theo…Eram muito unidos, Theo garantia todo o suporte para o irmão, desde as tintas até a moradia, são famosas as séries de cartas de Van Gogh para o irmão, um documentário da sua vida!

Em 27 de julho de 1890, Vincent tenta o suicídio com um tiro no peito, falece dois dias depois…Theo, seis meses depois falece, vítima de depressão pela morte do irmão e complicações da sífilis. Deixou uma esposa e seu filhinho, que colocou o nome de Vincent.

Existem várias controvérsias sobre Vincent Van Gogh. Acredita -se que ele sofria de depressão por intoxicação das tintas …Para quem não sabe, algumas tintas continham chumbo, elemento extremamente prejudicial e mortal. Aliás, o pintor brasileiro Portinari morreu por isso, intoxicação por chumbo em 6 de fevereiro de 1962, aos 58 anos! Foi um dos maiores artistas brasileiros, levando o nome do país para o exterior!

O chumbo acumula –se no fígado, poucas coisas são capazes de combater a intoxicação, anos atrás foram encontrados resquícios de tinta contendo chumbo em alguns brinquedos piratas vindos da China, por isso as regras para as indústrias de tintas são rígidas.

Devemos lembrar que grandes artistas superam suas vidas e nos deixam obras fantásticas, mas nunca deixam de ser PESSOAS, e talvez por toda uma vida cheia de percalços como todo mundo conseguem descrever tão bem a alegria, as tristezas, angústias, emoções e sentimentos, por vivenciarem tudo isso…Artistas são como antenas que captam a imaterialidade dos sentimentos e passam para a matéria, para que fiquem acessíveis a todos! 

Artistas são GENTE e não DEUSES!

Para quem quiser saber mais, deem uma olhada na internet, vocês irão achar desde blogs até documentários, apenas fiquem de olho nas fontes da notícia, ok!

Boa semana para todos!

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Fotos: Reproduções da internet

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *