A semana está repleta de novidades nos cinemas da cidade

Começo falando de um dos melhores filmes que assisti ano passado e que finalmente tem sua estreia em Londrina no Cine Com Tour: Amanda. Com um roteiro simples, mas nunca simplório, não se engane com a sinopse e dê uma chance para este filmaço francês dirigido por Mikhaël Hers. Aqui temos a história de um jovem sonhador que vive em Paris e se encanta por sua vizinha. Para completar, há sua irmã mais velha e sua sobrinha que começam a fazer parte de sua vida. Vincent Lacoste interpreta David com tanta ternura que é impossível não se apaixonar por ele.

De forma muito mais competente que Dumbo, estreia no circuito nacional mais um filme com atores de verdade dando vida aos personagens de mais um famoso desenho da Disney: Aladdin. Muito colorido, repleto de músicas famosas, o diretor Guy Ritchie deixa todo seu estilo frenético de lado e abraça um filme feito por encomenda para os estúdios do Mickey.

Will Smith é o nome mais famoso do elenco, interpretando o gênio da lâmpada, mas é o casal de protagonistas que rouba a cena com uma química perfeita. O ponto negativo é o vilão, muito caricato e nem um pouco ameaçador. Mas ainda assim, um ótimo filme para toda a família.

Para os amantes do Terror e Suspense, a pedida é Brightburn – Filho das Trevas, que ganhou fama no circuito cinematográfico por ter sido produzido pelo cultuado diretor de Guardiões das Galáxias, James Gunn, e com roteiro de seu primo e irmão Brian e Mark Gunn. Dirigido pelo desconhecido David Yarovesky.

Aqui a ideia soa muito mais interessante do que realmente presenciamos na tela: o que teria acontecido se o Superman fosse um ser maligno? De forma superficial e sem se aprofundar nas questões morais desse fiapo de roteiro, resta apenas aproveitar as cenas repletas de sangue (a cena na casa da tia de Brandon é minha favorita) e pelos bons efeitos visuais. Uma dica: há uma cena pós créditos que vale a espera.

E por fim, talvez o pior lançamento da semana, temos a refilmagem de Hellboy que mostra que Hollywood não sabe o momento de parar de fazer besteira. Com apenas 16% de aprovação no site Rotten Tomatoes, o filme foi um fracasso de bilheteria e aporta no país com semanas de atraso, talvez para não competir diretamente com a febre de Vingadores. Sem alma, sem criatividade, com um roteiro confuso e uma direção sem inspiração, só veja se gostar de sofrer e não tiver nada de mais interessante para fazer com seu tempo.

Foto: Divulgação

Marcelo Minka

Graduado em licenciatura em Artes Visuais, especialista em Mídias Interativas e mestre em Comunicação com concentração em Comunicação Visual. Atua como docente em disciplinas de Artes Visuais, Semiótica Visual, Antropologia Visual e Estética Visual. Cinéfilo nas horas vagas.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *