A genialidade de Arrigo em livro e show

Músico publica textos autobiográficos pela Grafatório Edições e faz show na cidade

Equipe O LONDRINENSE com assessoria

Uma Londrina estranha e caipira, cenário para uma sensibilidade infantil quase delirante. A primeira professora de piano e uma apresentação surreal tocando caixa de guerra com a fanfarra do Colégio Marista. A mudança para uma assustadora São Paulo, um show histórico com Alice Cooper, um encontro marcado com Tom Jobim. E os bastidores da criação de uma obra prima: Clara Crocodilo.

Essas são apenas algumas das memórias registradas em No Fim da Infância, livro de estreia do músico londrinense Arrigo Barnabé que a Grafatório Edições, também de Londrina, lança na próxima quinta-feira (27). O lançamento será às 19h30 na Vila Cultural Grafatório (Av. Paul Harris, 1575), e vai contar com a presença do próprio Arrigo, que irá participar de uma sessão de autógrafos e de um bate-papo com o público.

O conjunto de nove textos autobiográficos revela ao leitor passagens curiosas e fundamentais da vida desse criador genial, que nos anos 1980 revolucionou a música nacional ao trazer elementos da música erudita contemporânea para o território da MPB. Publicados originalmente nas revistas piauí e Calibán, os textos também são uma porta de entrada para se compreender o movimento musical conhecido como Vanguarda Paulistana, que tem suas origens na Londrina dos anos 1970.

Foto: Claudia Camargo Celidonio

 No Fim da Infância pode ser lido, ainda, como uma versão renovada, porque afetiva, da história cultural de Londrina. São memórias narradas por um personagem de sensibilidade singular, e que viria a se tornar um dos artistas mais radicais da cidade. Mais do que esclarecer detalhes sobre os primeiros passos de Arrigo na música e os bastidores de suas composições atonais, a obra também dá a conhecer um pouco de sua vida emocional, suas angústias, alegrias, transgressões e oscilações na busca por fazer de si próprio um artista de vanguarda. O livro é, dessa forma, um comovente autorretrato sobre o fim da infância, o início da adolescência e da vida adulta.

A publicação é uma realização da Grafatório Edições, uma editora independente de Londrina ligada ao coletivo do mesmo nome. Uma característica marcante da editora londrinense é o cuidado gráfico com que os livros são produzidos, e com No Fim da Infância não foi diferente. O texto foi todo composto em tipografia, uma técnica artesanal de impressão. No Fim da Infância inclui ainda fotografias inéditas, redescobertas em acervos particulares e impressas em papéis especiais. 

A publicação contou com edição de Felipe Melhado, que também assina o posfácio, projeto gráfico de Maikon Nery e Pablo Blanco, composição tipográfica de Silvio Valduga, impressão offset por Maurício Alves, letras capitulares desenhadas pelo calígrafo Diogo Blanco, e assistência de produção de Gabriela Campaner e Manoel Nascimento. 

Esse é o quinto livro publicado pela Grafatório Edições, que também já editou nomes como Paulo Leminski, Rogério Sganzerla e Paulo Menten. No lançamento, a obra será vendida a R$65. A tiragem é limitada a 500 cópias.

A publicação de No Fim da Infância conta com o patrocínio do PROMIC – Programa Municipal de Incentivo à Cultura, e apoio do Circulasons e da Moinho Brasil.

O show

No dia seguinte ao lançamento do livro, na sexta-feira (28), o projeto Circulasons promove um show de Arrigo Barnabé às 20h30 no Teatro Ouro Verde (rua Maranhão, 85). O músico sobe ao palco para apresentar o seu espetáculo mais recente: Quero que vá tudo pro inferno. Ao lado de Sérgio Espíndola (violão) e Paulo Braga (piano), ele interpreta canções de Roberto e Erasmo Carlos que marcaram sua juventude, e que revelam o impacto que a jovem guarda teve em seu comportamento e senso estético quando ele ainda vivia em Londrina. As canções, é claro, ganharam novos arranjos e são marcadas pela interpretação visceral de Arrigo.

 As entradas já estão à venda on-line, pelo site Sympla. Para garantir seu ingresso, acesse: https://bit.ly/2XyRyKD

O show Quero que vá tudo pro inferno é uma realização do projeto Circulasons, organizado pela TOCA – Arte Ação Criação, e com patrocínio da Cacique – Companhia de Café Solúvel, Uniprime, Cosan e Midiograf.

Serviço:

Lançamento: No Fim da Infância

Sessão de autógrafos + Bate-papo com Arrigo Barnabé

27 de junho, quinta-feira, 19h30

Vila Cultural Grafatório (Av. Paul Harris, 1575)

Valor do livro: R$65

Entrada livre

Show: Quero que vá tudo pro inferno

28 de junho, sexta-feira, 20h30

Teatro Ouro Verde (Rua Maranhão, 85)

Ingressos pelo site Sympla: https://bit.ly/2XyRyKD

Foto: Edson Vieira

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *