A arte imita a vida no mundo da Moda: Guo Pei e o universo alternativo

Guo Pei é uma designer de moda chinesa que mescla a alta costura e a fantasia, atendendo à alta demanda do mercado feminino chinês. Para o Fall 2019 Couture Collection, ela trouxe uma coleção descrita como “um universo alternativo”, na qual representa a vida após a morte. Pistas de areia, arcos de galhos pretos entrelaçados, povoados por diversos corvos negros, sugerem um portal macabro em sua imaginação.

“Quando eu era criança, muitas vezes pensava sobre a morte”, disse a estilista através de um tradutor. “Onde vamos? Eu acho que muitas pessoas pensam sobre isso.”

Desde o vestido de abertura, com a saia de Marie Antoinette habitada por gêmeos fantasmagóricos, até o penúltimo vestido que transformou a modelo em uma múmia glamourosa, Guo Pei traz criações sobrenaturais, em sua parte incolores, mesclando as vestimentas mais clássicas a um vestido de kimono corset.

Usando uma espécie de cânhamo feito de folhas de abacaxi, Pei elevou um tecido pouco explorado a um material rico, fino e sublime, e que, às vezes, assemelha-se a uma estátua clássica. Para conseguir tal efeito, ela adicionou ricos bordados artesanais em ouro, prata, detalhes nas cores preta e azul nas mais diversas criaturas (elefantes, macacos, cobras, aranhas, besouros), transformando-os em símbolos da vida e morte. Para realmente dar ênfase ao significado, cada vestido exigiria um grande trabalho manual e um tremendo esforço.

Normalmente um vestido de alta costura exige mais de 100 horas de bordado, o que é difícil de imaginar para um nível de acabamento como esse. Porém, Guo Pei disse que o vestido final levou sete anos para ser feito. Ela traz esse jardim independente de flores, com tules e bordados, explorando o lúdico, na qual sinalizam tanto a vida quanto a morte, através das mais diversas cores vibrantes.

Esses bordados te lembram alguma coisa? O movimento de bordado, principalmente bordado livre, invadiu os mais diversos setores ligados à moda nos últimos anos: roupas, bolsas, pingentes, bastidores que são usados como quadros… Sempre com temas que remetem à vida, às demandas do dia a dia, aos sentimentos. A moda, lá em cima, sempre reverbera aqui pertinho de nós.

Fotos: Divulgação

Carlos Fabian S. Jimenez

20 anos, pisciano e estudante de Design de Moda na Universidade Estadual de Londrina.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *