Vozes que encantam há 84 anos

Coral Santa Cecília comemora 84 anos com Santa Missa neste domingo, às 10h30

O LONDRINENSE com assessoria
 
Domingo, 10h29. Os sinos da Catedral Metropolitana de Londrina tocam. As badaladas convidam para a Santa Missa que terá início dentro de instantes. E lá estão eles a postos todos os domingos. São vinte e cinco mulheres e quinze homens que soltam suas vozes todas as manhãs, no Coral Santa Cecília, no mais belo espetáculo que embala almas e corações. “O Coral Santa Cecília é um espaço histórico de arte e beleza” – comenta o Cura da Catedral Metropolitana de Londrina, padre Rafael Solano Durán.

Neste domingo (22), em missa celebrada às 10h30, o coro, que leva o nome da Padroeira dos Músicos, comemora 84 anos de vida. As 40 vozes, que ensaiam incansavelmente durante duas horas todas às quartas-feiras, participam de cerca de cinquenta missas por ano. “O repertório é escolhido a partir das necessidades litúrgicas da Catedral. Então, seguimos o calendário litúrgico. O repertório do Coral é praticamente impossível de calcular, mas certamente, acumula mais de duzentas músicas” – explica o regente Luis Francisco Fontanari.

Mas o repertório do Coral Santa Cecília não para por aí: os grandes clássicos como Bach, Beethoven e Haendel revelam um grupo que acumula experiência. “O Coral Santa Cecília é um dos mais antigos do Brasil. A história do Coral se confunde com a história da nossa cidade. E Londrina tem o privilégio de manter a chama da boa música coral das igrejas através do Coral” – enfatiza o padre Rafael. 
 
Nascimento  
O ano era 1936. Londrina se estruturava como município. E as irmãs de Schoensstatt chegavam na cidade para trabalhar no hospital onde hoje é a Santa Casa, na catequese e na educação dos filhos dos pioneiros. A vinda das irmãs alemãs estimulou o canto nas celebrações. Sob o comando da irmã Mariaregis criou-se o primeiro grupo formado apenas por moças.  
O tempo passou. Oito anos depois, um grupo de congregados marianos também organizou um coral masculino. Em 1948, sob a regência de Divino Bortoloto e a participação da irmã Clemência, uma exímia organista, os dois grupos se uniram. Naquela época, as interpretações dos cantos eram feitas a partir de partituras trazidas da Alemanha pelas religiosas.     
 
 
Memórias e histórias  
Além de embelezar as Santas Missas de domingo da Catedral Metropolitana de Londrina, o coral Santa Cecília costuma receber convites para apresentações em  paróquias da Arquidiocese. “Alvorada do Sul, Rolândia, Cambé, são cidades costumeiramente visitadas. Também estivemos nos apresentando em Aparecida do Norte em 2011” – lembra o regente. 

Cada coralista carrega um testemunho vibrante de perseverança e leva nos olhos o brilho intenso que só tem quem ama o que faz.  Elizabeth da Silva Luelsdorf é a coralista mais antiga do grupo. Ela iniciou quando o coral tinha apenas quatro anos de vida. “O Coral Santa Cecília faz parte da minha história. Minha vida sempre foi direcionada pelo coral, que fez toda diferença na minha formação como mulher, esposa, mãe” – contou.

Hoje, aos 93 anos, ela dá uma volta ao passado quando relembra o tempo de Coral.  “Comecei aos 13 anos quando era adolescente ainda. O Coral é minha vida. É a extensão da minha casa, da minha família” – conta Elizabete que testemunhou a aquisição do primeiro instrumento do Coral, um harmônico de Novo Hamburgo.  “Até um mezanino foi construído para receber o instrumento, inaugurado na Missa do Galo, no Natal do final da década de 30” – relembra. 

Orgulhoso por reger um dos mais importantes coros do país, o maestro Luis Francisco afirma que o Coral tem um significado muito grande em sua vida. “Ser regente titular do Coral Santa Cecília foi um presente que recebi em janeiro de 2009. Trabalhar com o Coral não é só fazer música; é também servir a Deus através do canto litúrgico, é evangelizar através da Palavra feita música e contribuir na construção da história desse grupo que já é patrimônio sociocultural de Londrina” – enfatiza. 
   
Reconhecimento 
O Coral Santa Cecília acumula homenagens ao longo dessas quase nove décadas de atuação. No entanto, uma delas marcou a história do grupo: a Comenda Ouro Verde, título de reconhecimento concedido pela Câmara de Vereadores da cidade, recebida em 29 de novembro de 1991.  “Londrina se orgulha do Coral Santa Cecília que, ao longo do tempo, conquistou projeção nacional. Parabéns aos integrantes, ao regente Luiz Francisco, ao organista Paulo Damasceno, pessoas dedicadas a evangelizar através da música. Vida longa ao coral!” – finaliza.
 
Serviço:
Celebração em comemoração aos 84 anos do Coral Santa Cecília
Neste domingo, 22, às 10h30
Local: Catedral Metropolitana

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *