HU/UEL entrega últimos leitos do Hospital de Retaguarda Covid-19

Hospital chega a 220 leitos específicos para a doença para atender cerca de
2 milhões de habitantes de 96 municípios

O LONDRINENSE com assessoria

O Hospital Universitário da UEL (HU-UEL) fez a entrega nesta segunda-feira (31) dos 35 leitos que complementarão os 120 leitos Covid-19 programados no Plano de Contingenciamento do Estado do Paraná, para o enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus. Os leitos fazem parte da estrutura do Hospital de Retaguarda do HU/UEL, anteriormente prevista para funcionar a nova maternidade do hospital.

Com a conclusão dessa fase o HU-UEL honra os compromissos firmados com o governo do Estado do Paraná e toda a comunidade da macrorregião Norte e Noroeste do Estado, para prover leitos de internação, com aporte técnico e científico que possibilitem a assistência à saúde de qualidade.

Segundo a superintendente do HU/UEL Vivian Feijó, “dos 35 leitos, 10 poderão ser habilitados como terapia intensiva, assim que o governo acenar com a necessidade de ativação que geralmente ocorre com uma taxa de ocupação acima de 75% nos leitos da macrorregião”. Ainda segundo Vivian, “no momento deixamos toda a logística de infraestrutura pronta e profissionais treinados para gerenciar de forma eficiente o novo espaço e sua funcionalidade. Cerca de 80% dos profissionais convocados pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS) já estão na instituição recebendo treinamento que é muito específico para o atendimento ao paciente Covid-19, desde paramentação até outras condutas especiais”, esclarece.

Baseado em levantamento da direção do hospital, com os novos números, o hospital dá um pulo de 297 para 451 leitos disponibilizados, enquanto atendimento de referência na rede de urgência e emergência, para uma população estimada em 2 milhões de habitantes de 96 municípios da macroorregião Norte do estado. O fato consolida o HU/UEL como o segundo maior hospital público do Paraná, 100% SUS.

O Hospital vem contando com o apoio de toda a estrutura do governo do Estado, do governo municipal, da UEL, da sociedade civil organizada e, sobretudo, da comunidade interna, que se qualificou em vários protocolos técnicos que levam em conta ainda a humanização, ética e compromisso com a vida.

Recursos – Os recursos financeiros destinados para montar e manter a estrutura, considerando verba para realização do PSS, custeio e aquisição de equipamentos, foram provenientes do Governo do Estado (R$ 24 milhões), SESA (R$ 3,8 milhões), Câmara Municipal de Londrina (R$ 4,3 milhões), contratualização SUS entre HU/UEL e Prefeitura Municipal de Londrina (R$5,204 milhões), além de recursos próprios do hospital no montante de R$ 3 milhões.

Foto: Divulgação/HU/UEL

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *